Dois assaltantes de banco de Portugal são brasileiros, segundo imprensa

Lisboa, 9 ago (EFE).- Os dois assaltantes que tentaram roubar um banco em Lisboa na quinta-feira, com a tomada de vários reféns, são de origem brasileira e foram identificados hoje pela imprensa portuguesa.

EFE |

O assalto terminou na madrugada da sexta-feira com a libertação dos dois últimos reféns e a morte de um dos assaltantes, após permanecerem oito horas fechados dentro da filial.

A imprensa portuguesa identifica hoje Nilson Sousa, de 35 anos, como o organizador do assalto e a pessoa que morreu devido a um tiro certeiro de um franco-atirador da Polícia.

O brasileiro era acompanhado nessa tentativa pelo compatriota Wellington Rodrigues Nazaré, de 23 anos, que desejava "conseguir mais dinheiro" para enviar aos familiares em Minas Gerais.

Rodrigues tentou resistir quando as forças especiais da Polícia portuguesa entraram no banco, e recebeu um tiro na cabeça, com fratura da mandíbula. Ele está em um hospital de Lisboa e, segundo algumas versões da imprensa, é vigiado constantemente por policiais.

Fontes médicas do serviço de emergência desse centro explicaram que, devido à grande inflamação, não foi possível retirar a bala, que está alojada no pescoço e que poderia ter atingido alguns nervos do rosto.

A espetacular operação de resgate dos reféns foi transmitida ao vivo pela televisão portuguesa.

Ontem, em entrevista coletiva, o chefe da Polícia portuguesa, Francisco Oliveira Pereira, se negou a informar sobre a nacionalidade dos assaltantes - mas desde o princípio havia informações de que eram brasileiros - e a oferecer os nomes, "por razões de ética e sigilo da investigação", disse.

O chefe da Polícia de Segurança Pública precisou que os dois homens eram "estrangeiros", com idades entre 25 e 35 anos, e que residiam ilegalmente em Portugal, "provavelmente há vários meses".

EFE mrl/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG