Doente, mãe de presidente polonês não foi informada da morte do filho

VARSÓVIA - Gravemente doente, a mãe do presidente polonês, Lech Kaczynski, morto no acidente de avião ocorrido no sábado na Rússia, não foi informada da morte de filho, segundo informações do hospital militar de Varsóvia. Em meio a homenganes populares, o corpo do presidnete chegou neste domingo a Varsóvia. Além dele, outras 95 pessoas morreram no acidente.

iG São Paulo com agências |

"Levando em conta o estado de saúde dela, o filho (Jaroslaw, irmão gêmeo do presidente morto) preferiu que ela de nada soubesse", declarou à AFP Piotr Dabrowiecki, porta-voz do estabelecimento, sobre a mãe de Kaczynski.

Reuters
Milhares de pessoas observam carro com corpo de presidente polonês

"O estado de Jadwiga Kaczynska, 83 anos, é grave, mas estável. Ela está internada na UTI do hospital desde meados de março, com problemas cardíacos e pressão alta", acrescentou.

Cortejo fúnebre

O corpo de Kaczynski chegou, neste domingo, a Varsóvia, a bordo de um avião militar polonês. O primeiro-ministro, Donald Tusk, o presidente do Parlamento e chefe de Estado interino, Bronislaw Komorowski, e o presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, acompanharam a chegada do corpo no aeroporto de Varsóvia.

Também aguardava na pista do aeroporto o irmão do presidente Jaroslaw Kaczynski, a quem coube nesta madrugada a tarefa de reconhecer o corpo do irmão. Além dele, estavam outros familiares, como a filha do governante, Marta, visivelmente emocionada.  Marta e Jaroslaw foram os primeiros que se ajoelharam e beijarem o caixão, coberto pela bandeira polonesa e escoltado por quatro oficiais com sabres ao alto.

Reuters
Milhares de flores e velas são colocadas em frente a Palácio Presidencial

Após a recepção e as honras militares e religiosas, o cortejo fúnebre partiu em direção ao palácio presidencial em um percurso acompanhado por milhares de pessoas, que aguardavam em pé na rua com bandeiras e fotografias do casal presidencial.

No entorno do palácio milhares de cidadãos vindos de toda Polônia estavam concentrados desde as primeiras horas da manhã, impacientes para homenagear ao presidente.

Quem não conseguiu comparecer à cerimônia estava em frente a um televisor comovido acompanhando os ritos de despedida. Em Varsóvia, neste domingo, o trânsito está praticamente paralisado devido à quantidade de pessoas nas ruas.

Não se via uma comoção nacional assim na Polônia desde a morte do papa João Paulo II.

Apesar dos desejos da família, o corpo de Kaczynski não pode ser repatriado junto com o de sua mulher, Maria Kaczynski, também morta na tragédia aérea, porque o dela não estava entre os 24 já identificados.

O porta-voz do Executivo, Pawel Grass, informou previamente da intenção do Governo de velar o corpo no palácio Presidência para que todos os poloneses possam se despedir do governante, mas para isso é necessária uma autorização da família.

Luto

Logo após a tragédia, a Polônia decretou uma semana de luto nacional na qual a maioria das atividades culturais e esportivas serão cancelas, entre estas a fase final da Liga dos Campeões de vôlei que deveria ser disputada em Lodz. Já no sábado à noite, boates e bares fecharam as portas em uma antecipação ao decreto de luto nacional que começou neste domingo.

Poloneses prestam homenagens às vítimas de acidente aéreo


iG

Leia também:

Leia mais sobre acidente aéreo

    Leia tudo sobre: acidente aéreopresidenterússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG