Doenças, fome e sede são as maiores ameaças para sobreviventes em Mianmar

Yangun (Mianmar) - As doenças, a fome e a sede se transformaram nas principais ameaças para os desabrigados em Mianmar (antiga Birmânia) pelo ciclone tropical Nargis, que causou pelo menos 22,5 mil mortes e deixou cerca de 40 mil desaparecidos.

EFE |

Clique na imagem e veja o infográfico sobre a formação dos ciclones

A advertência foi feita hoje pelas agências de ajuda humanitária, que começaram a distribuir o material de emergência às vítimas nas regiões mais castigadas, no sul do país.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu às autoridades birmanesas que deixem de colocar impedimentos a seu trabalho, e lembrou que nestas situações as crianças são as mais vulneráveis a doenças como a dengue, uma séria ameaça em função da água parada deixada pelo ciclone.

O país também sofre com o risco de possíveis surtos de cólera e diarréia crônica, em razão das águas contaminadas pelos milhares de corpos que estão expostos ao calor e à umidade tropical.

Reuters
Imagem tirada pela Real Força Aérea da Tailândia mostra a destruição na cidade de Yangun, nesta terça-feira
Imagem desta terça-feira mostra a destruição na cidade de Yangun

A Junta Militar finalmente autorizou hoje a distribuição de 800 toneladas de arroz que o Programa Mundial de Alimentos da ONU tinha armazenado há dias em Yangun.

No entanto, as agências das Nações Unidas continuam se queixando da lentidão das autoridades birmanesas para tramitar em Bangcoc os vistos de seu pessoal, o que atrasa o auxílio aos desabrigados.


Mianmá está localizada no sudeste asiático
Leia também:
  • Plebiscito é adiado nas áreas atingidas
  • Governo birmanês declara estado de emergência
  • Autoridades de Mianmá advertem para risco de epidemia 
  • ONU, UE e Estados Unidos oferecem ajuda aos birmaneses

  • Leia mais sobre: ciclones - Mianmá

      Leia tudo sobre: ciclonemianmá

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG