JOHANESBURGO (Reuters) - As autoridades de saúde da África do Sul estão em alerta máximo depois que três pessoas morreram de uma doença infecciosa desconhecida, parecida com a febre hemorrágica. Uma quarta pessoa também morreu, mas não ficou claro se o caso está relacionado com os outros três, que morreram na clínica Morningside, em Johanesburgo, disse a porta-voz do hospital, Melinda Pelser, na segunda-feira.

Há vários tipos de febre hemorrágica, incluindo o Ebola e Marburg, que mataram centenas de pessoas em epidemias na África. As doenças causam hemorragias em diferentes partes do corpo e têm alto índice de mortalidade.

O Departamento de Saúde sul-africano lançou um alerta no fim de semana, depois das mortes. Mas Pelser disse que os testes para os tipos conhecidos de febre hemorrágica deram negativo.

Pelser disse que as autoridades do hospital estão investigando a doença, que se parece com a gripe e causou sangramentos externos e internos. A contaminação se dá por meio do contato com fluidos corporais contaminados, mas não há sinal de que seja transmitida pelo ar.

A primeira vítima foi uma mulher da Zâmbia, levada ao hospital Morningside para o tratamento. Um paramédico que a acompanhou foi a segunda vítima, segundo as autoridades de saúde.

O Ebola é raro, mas não tem cura e o vírus geralmente mata entre 50 a 90 por cento de suas vítimas. A contaminação também se dá pelo contato com os fluidos corpóreos do paciente. Assim como outras febres hemorrágicas, os pacientes morrem de desidratação, hemorragia e choque.

A última epidemia, que terminou em fevereiro, em Uganda, foi bastante leve, matando 37 das 149 pessoas infectadas.

A epidemia anterior, que assolou Uganda em 2000, matou mais da metade das 425 pessoas infectadas. Em 2006, no vizinho Congo, 187 dos 264 infectados morreram.

Marburg é uma febre com características similares. Pelo menos 150 pessoas morreram em uma epidemia em Angola, em 2004 e 2005.

(Por Michael Georgy)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.