Documentários e filmes críticos às eleições presidenciais ganham espaço nos EUA

A um mês das eleições nos Estados Unidos proliferam nos canais de televisão, internet, cinema e lançamentos de DVDs documentários e filmes que denunciam injustiças em votações que envolvem a Casa Branca.

AFP |

Na segunda-feira, o Documentary Channel vai exibir pela primeira vez na TV americana o longa "How Ohio Pulled It Off", que coloca o dedo na ferida da contagem duvidosa em Ohio no ano de 2004, que garantiu a reeleição do presidente George W. Bush.

O documentário é marcado pelos vídeos 'amadores' feitos por cidadãos ou jovens cineastas e disponibilizados em blogs ou no portal Youtube, que ganham audiência graças ao boca-a-boca e às correntes de mensagens eletrônicas.

Sem espaço nos canais abertos, estes longas encontraram refúgio na TV a cabo.

O canal HBO estreou recentemente "Recount", filme feito para a televisão que foi aclamado pela crítica por reviver na ficção as negociações dos bastidores para dar a vitória ao presidente Bush em 2000.

Em "How Ohio Pulled It Off", que acaba de sair em DVD, "a idéia foi não apenas denunciar o que estava acontencendo, mas fazer os espectadores entenderem que somente participando e vigiando o poder é possível mudar o estado da democracia nos Estados Unidos", disse à AFP Mariana Quiroga, uma venezuelana nascida na Argentina, co-diretora do longa com Matt Kraus e Charla Barker.

O trio finalizava a faculdade de cinema em Ohio quando decidiu rodar um documentário, mas com outra idéia: o contato com as ruas os obrigou a transformar o projeto em uma denúncia.

"A princípio pretendíamos fazer um 'doc' para saber porque as pessoas decidiram votar em Bush, mas quando saímos para conversar com as pessoas nas ruas, elas nos diziam que não haviam votado nele e que não entendiam como ele havia vencido", conta Quiroga.

"Nunca imaginamos a dimensão da fraude, nem sabíamos que havia existido uma fraude. Foi um processo de descoberta para nós também. Eu, mesmo sendo latina e tendo experiência em coisas do tipo, nunca imaginei o nível de corrupção do governo dos Estados Unidos", afirma.

Este episódio eleitoral de 2004, tratado em publicações liberais e abordado várias por Robert Kennedy Jr., também foi ressuscitado este mês pelos criadores do desenho "Os Simpsons".

No portal Youtube já ganhou fama a prévia do episódio que deve ser exibido em 2 de novembro, dois dias antes das eleições.

No episódio com o título "Homer Simpson tenta votar em Obama", o patriarca da família mais 'disfuncional' da TV americana lembra justamente o ocorrido em Ohio, quando, diante da máquina de votação, tenta votar no democrata Barack Obama, mas seu voto vai automaticamente para o republicano John McCain.

O productor de "Os Simpsons", Al Jean, afirmou ao jornal Orlando Sentinel que este episódio pretende fazer um "comentário sobre as irregularidades do sistema de votação".

Com ironia, sarcasmo e tom acadêmico, os diretores criticam o papel dos meios de comunicação de massa e vêem em seus trabalhos uma forma de mostrar o outro lado dos fatos.

pb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG