Documentário sobre Obama é a nova arma da campanha do presidente

Narrado pelo ator Tom Hanks, vídeo publicado em plataforma do YouTube permitirá que internautas compartilhem e doem recursos

Carolina Cimenti, de Nova York |

A equipe da campanha de reeleição do atual presidente americano, Barack Obama , lançou nesta quinta-feira um documentário de 17 minutos sobre os últimos quatro anos de governo e as conquistas do presidente. O documentário, com narração do ator Tom Hanks e direção do mesmo cineasta que fez “Uma Verdade Inconveniente” (com o ex-vice presidente Al Gore), Davis Guggenheim, traz um toque hollywoodiano à campanha e promete se transformar em viral online rapidamente.

“The Road We’ve Traveled” (O Caminho que Fizemos, em tradução livre), usa imagens de arquivo para mostrar os enormes desafios econômicos que a equipe de Obama encarou nos primeiros anos de governo. Imagens de telejornais relembram as condições caóticas do mercado financeiro e a quase falência da indústria automotiva americana nos meses que seguiram a posse do presidente.

Assista ao vídeo em inglês:

O documentário lembra a batalha do governo para aprovar a reforma da saúde pública e a difícil decisão de atacar e matar Osama Bin Laden, no Paquistão em 2011. O documentário afirma que, “se tudo desse certo, era a responsabilidade dele, mas que se o ataque fosse um desastre, significaria o fim do seu governo”.

O ex-presidente democrata Bill Clinton também participa do filme de campanha. “Ele escolheu o caminho mais difícil e mais honrado. Quando eu soube (do ataque), pensei: eu espero que, no lugar dele, eu também escolhesse esse caminho”, disse Clinton.

A publicação do vídeo em uma nova plataforma do YouTube permitirá que a campanha de Obama transforme a experiência passiva de assistir a um vídeo em uma ferramenta de organização e captação de recursos. A tecnologia permitirá que os telespectadores postem conteúdo da campanha em suas páginas no Facebook, declarem-se voluntários e doem dinheiro sem ter de deixar a página de Obama no YouTube.

Os estrategistas da campanha esperam usar a nova plataforma para se concentrar nas pessoas de maneiras muito específica. Por exemplo, se alguém assistir a um vídeo sobre um determinado local geográfico, como a Flórida, uma lista de amigos do Facebook dessa pessoa que vivem na Flórida aparecerá ao lado do vídeo com uma mensagem do comitê de Obama sugerindo que o usuário lhes recomende o vídeo.

Os esforços do comitê de Obama ressaltam a importância dada pelas campanhas políticas ao vídeo online e o papel provavelmente imporante que terá na próxima eleição. Antes mais conhecido na política como palco para paródias virais e respostas produzidas às pressas, o vídeo online é vital na forma como as campanhas se comunicam e convencem os eleitores.

Críticas

O pré-candidato republicano Mitt Romney criticou o documentário, dizendo que ele poderia listar uma série de problemas no governo Obama que ficaram de fora na edição dos 17 minutos de vídeo: “O preço da gasolina, por exemplo, que não para de subir e dificuldades na vida das mães que querem levar seus filhos à escola”, mencionou Romney, cuja campanha está usando tecnologia semelhante. Na página do pré-candidato republicano vídeos online. Os visitantes podem doar, se voluntariar e compartilhar conteúdo dentro da página de Romney no YouTube.

A estratégia parece estar dando certo Desde que foi lançado, na noite desta quinta-feira, o vídeo da campanha de Obama foi assistido mais de 100 mil vezes no Youtube e tem quase 1 mil comentários com menos de 24 horas no ar.

*Com informações do New York Times

    Leia tudo sobre: eleição nos euaobamayoutubeonlinecampanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG