Doadores ao Partido Trabalhista dizem que Brown é líder incapaz

Londres, 29 jun (EFE) - Vários empresários britânicos que fizeram no passado grandes doações ao Partido Trabalhista questionaram a capacidade de liderança do primeiro-ministro, Gordon Brown, e reivindicam uma nova mudança na cúpula do partido. Em declarações à emissora BBC, o empresário Gerry Robinson disse hoje que os trabalhistas têm atualmente graves problemas e acrescentou que Brown mostra todos os sinais de não ser capaz como líder. Este tipo de crise não acontece por acaso. (.

EFE |

..) A política é, como tudo, uma questão de liderança. E não acredito sinceramente que Gordon (Brown) tenha essa capacidade", acrescentou.

Robinson não é, no entanto, o único que pensa desse modo. O jornal dominical "The Sunday Times" informa hoje que vários empresários que apoiaram o Novo Trabalhismo sob o mandato de Tony Blair desejam uma mudança de liderança.

Assim, o milionário Maurice Hatter, que doou o equivalente a mais de 221 mil euros ao Novo Trabalhismo desde 2001, considera que Brown "não tem carisma".

"Foi um bom número dois (como ministro da Economia), mas não é um número um. Não acho que seja um (bom) primeiro-ministro", critica Hatter, que anunciou que não dará mais dinheiro ao partido enquanto Brown continuar no poder.

O também empresário e escritor Christopher Ondaatje, que doou mais de dois milhões de euros ao Novo Trabalhismo, criticou o chefe do Governo britânico por resgatar o banco Northern Rock com dinheiro público.

Gerry Robinson, também doador dos trabalhistas e ex-presidente da empresa Allied Domecq, acusa Brown de não saber delegar e diz que, assim, não se pode dirigir uma família, e muito menos um país.

Segundo o jornal "The Times", as doações dos milionários, que chegavam regularmente nos tempos de Blair, praticamente sumiram.

Lorde Levy, principal arrecadador de fundos do partido sob o Governo de Blair, disse também esta semana que é hora de mudar de líder.

As notícias sobre a crescente rejeição dos empresários que apoiaram com entusiasmo os trabalhistas no Governo anterior são um novo golpe para Brown e uma má notícia para o conjunto do partido.

Os trabalhistas devem apresentar esta semana suas contas públicas, e se o partido conseguir evitar a falência, será, segundo o "Sunday Times", graças a uma garantia por escrito de que pelo menos um poderoso sindicato, Unite, seguirá com seu financiamento.

EFE jr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG