Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Divulgação do resultado trimestral do Google gera fortes expectativas

San Francisco, 17 abr (EFE).- O Google apresenta hoje seus resultados do primeiro trimestre do ano em meio ao temor de que o arrefecimento econômico nos Estados Unidos tenha prejudicado o balanço do principal site de buscas da internet.

EFE |

Nos últimos meses, o número de internautas que clicaram nos anúncios publicados pelo Google praticamente não cresceu, o que segundo os analistas é sintoma de que a fraqueza econômica está minguando o interesse dos consumidores pela publicidade online.

O Google exibe os anúncios junto aos resultados das buscas dos usuários e recebe dinheiro dos anunciantes - que é de fato sua maior fonte de renda - cada vez que alguém dá um clique sobre eles com o mouse.

Segundo dados publicados ontem pela empresa de consultoria comScore, o número de internautas que clicou nesses links publicados pelo Google aumentou em março 2,7% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Em fevereiro, a alta foi de 3%, enquanto não houve crescimento em janeiro.

Apenas alguns meses antes, os incrementos anualizados registrados eram de entre 25% e 40%.

A empresa de consultoria acrescentou que no conjunto do primeiro trimestre se registrou um aumento do 1,8 % frente à alta do 25 % do último trimestre de 2007.

Alguns analistas acreditam que a receita do site de buscas continua crescendo e previram que o Google publicará hoje um avanço de seu lucro em torno de 40% no primeiro trimestre de 2008, frente ao mesmo período de 2007.

No entanto, essa taxa é inferior à expansão anualizado de 51% registrada nos últimos três meses do ano passado e à alta de 57% do trimestre anterior.

O Google divulgará seus resultados às 18h30 (de Brasília), após o fechamento dos mercados nos Estados Unidos.

O site de buscar argumenta que a aparente queda do interesse dos internautas por seus anúncios é produto de mudanças introduzidos para otimizar a eficácia da publicidade e evitar que os usuários cliquem nos anúncios sem querer.

O Google assegura que também eliminou os links menos relevantes e aqueles que já não estavam ativos.

Paralelamente, o Google continua sendo um dos destinos favoritos da rede e lidera o setor de buscas na Internet.

A firma monopoliza quase 60% de todas as buscas realizadas nos EUA, seguida de longe por sua concorrente Yahoo!, que possui 21,3% do mercado e pela Microsoft com 9,4%, segundo dados do comScore.

No entanto, a companhia não pôde evitar que as notícias afetassem seriamente à cotação de seus títulos, que até agora pareciam estar à prova de crises econômicas e vaivéns do mercado.

Os títulos do site desvalorizaram cerca de 30% este ano.

As ações do Google marcaram um recorde histórico de US$ 747 no final de 2007, mas desde então não pararam de cair e já chegaram a ser negocidas a US$ 413.

Os títulos praticamente não registraram variações hoje e durante a tarde avançavam um tímido 0,02%, até os US$ 455,9. EFE pg/fb

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG