Distúrbios no Quirguistão deixam pelo menos 68 mortos

Pelo menos 68 pessoas morreram e mais de 520 ficaram feridas nos distúrbios antigovernamentais registrados na quarta-feira na capital do Quirguistão, Biskek, reprimidos violentamente pelas autoridades, informou o Ministério da Saúde.

EFE |

Segundo um porta-voz ministerial, até agora foram identificados 33 corpos. O opositor Omurbek Tekebayev, ex-presidente do Parlamento, afirmou que o número de mortos chegava a uma centena.


Manifestante com bandeira do país caminha por rua do centro da capital / Reuters

A dirigente opositora Rosa Otunbayeva assumiu na quarta-feira o poder no país após a derrocada do presidente Kurmanbek Bakiev, que abandonou a capital e se encontra em sua residência em Osh (sul do país), sua cidade natal.

Várias centenas de pessoas se reuniram na manhã desta quinta em frente à Casa Branca, sede da Presidência, onde há um grande movimento de entrada e saída de pessoas e o trabalho do governo está paralisado, segundo a agência russa "Interfax".

Na cerca que rodeia o edifício está pendurado um retrato do presidente derrubado manchado de sangue, enquanto a bandeira nacional desapareceu da Casa Branca.

Algumas pessoas nas escadas pedem aos manifestantes para não retirarem objetos do lugar, mas praticamente não há mais nada no interior, já que o imóvel, onde se veem marcas de incêndio, foi saqueado.


População do Quirguistão se reúne em frente ao palácio presidencial / AP


Leia mais sobre Quirguistão

    Leia tudo sobre: quirguistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG