Distúrbios e manifestações neonazistas marcam Dia do Trabalho na Alemanha

Berlim, 1 mai (EFE) - Os distúrbios entre manifestantes de esquerda e a Polícia em Hamburgo e Nuremberg marcaram o Dia do Trabalho alemão, no qual milhares de jovens fizeram manifestações neonazistas convocadas para a ocasião e consideradas provocação pelos sindicatos. Em Hamburgo, onde já na noite anterior tinham sido registrados os primeiros distúrbios, a Polícia recorreu ao uso de cassetetes e jatos de água contra manifestantes de esquerda e os chamados autônomos ou radicais mais exaltados. Cerca de dez mil pessoas atenderam à convocação de partidos, sindicatos e organizações civis de sair para enfrentar a marcha do ultradireitista Partido Nacional Democrático (NPD, em alemão) pelas ruas de Hamburgo. Cerca de 200 deles romperam o cordão policial que vigiava a marcha de 1.100 neonazistas que desfilava pela cidade e as forças antidistúrbios reagiram para evitar um confronto direto entre os dois grupos.

EFE |

Em Nuremberg, cidade onde Hitler celebrou os grandes congressos do partido nazista, o NPD tinha anunciado uma manifestação parecida, contra a qual também se mobilizaram legendas - incluindo a conservadora União Social-Cristã da Baviera (CSU, em alemão) - e cidadãos.

Dez mil contra-manifestantes também se concentraram na cidade, enquanto a Polícia tomava conta da marcha do NPD.

Pela manhã, em seu ato central, a Confederação de Sindicatos Alemães (DGB, em alemão) e o Partido Social-Democrata (SPD, em alemão) tinham exigido a proibição do NPD, a quem acusaram de tentar "roubar" o destaque do dia com as marchas neonazistas.

"É intolerável que a justiça e as administrações não possam impedir as provocações nazistas em nosso Primeiro de Maio", disse o presidente da DGB, Michael Sommer, em Mainz (oeste do país).

A comunidade judaica tinha protestado contra a autorização da marcha neonazista de Nuremberg, pela simbologia dessa cidade para os ambientes ultradireitistas.

Na véspera do Dia do Trabalho, na chamada Noite de Walpurgis, já tinha havido detenções em distúrbios envolvendo jovens de esquerda em Berlim e Hamburgo.

Ao todo, 20 pessoas foram detidas em Berlim e outras seis em Hamburgo.

Os distúrbios em Hamburgo aconteceram depois que jovens da denominada Rote Flora atiraram garrafas contra as forças antidistúrbios, incendiaram latas de lixo e quebraram os vidros de um banco local.

Em Berlim, a Polícia considerou menores estes distúrbios se comparados aos que já ocorrem há mais de duas décadas no Primeiro de Maio no país. EFE gc/ev/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG