Distúrbios deixam seis mortos no sul da Tailândia

(Atualiza o número de mortos) Bangcoc, 23 jun (EFE).- Seis pessoas morreram hoje em vários tiroteios e distúrbios com supostos rebeldes muçulmanos no sul da Tailândia, região onde cerca de 3.

EFE |

300 pessoas morreram desde que, em 2004, o movimento separatista islâmico retomou a luta armada, após uma década de pouca atividade guerrilheira.

Na província de Yala, três insurgentes foram mortos a tiros por soldados, que tinham sido atacados primeiro, perto de um povoado onde cem policiais e militares tinham entrado em uma operação para deter guerrilheiros islâmicos.

Também em Yala, dois desconhecidos que estavam em uma motocicleta mataram a a tiros uma mulher muçulmana de 37 anos.

Na vizinha província de Pattani, um homem morreu em um tiroteio, e a Polícia descobriu o cadáver de um homem que as autoridades suspeitam ser mais uma vítima da violência separatista.

Os ataques com armas leves, assassinatos e atentados com bomba ocorrem diariamente nas províncias de maioria muçulmana de Narathiwat, Pattani e Yala, apesar da mobilização de 31 mil agentes das forças de segurança.

O ministro do Interior tailandês, Chalerm Yoobamrung, estuda conceder um estatuto autônomo à região para sufocar o conflito.

No começo do ano, o Governo reconheceu pela primeira vez a existência de vínculos entre a rede terrorista Al Qaeda e os separatistas, e admitiu que a situação piorou desde que estes começaram a receber armas e dinheiro procedentes do narcotráfico.

EFE fmg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG