Havana, 18 dez (EFE).- Representantes da dissidência cubana rejeitaram hoje a proposta feita pelo presidente da ilha, Raúl Castro, de trocar com o futuro presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, os presos políticos de Cuba pelos cinco agentes do país que cumprem pena por espionagem em centros de detenção americanos.

Elizardo Sánchez, líder da Comissão Cubana de Direitos Humanos(CCDHRN), disse à Agência Efe que as declarações de Raúl "põem em evidência a falta de independência dos tribunais em Cuba", já que o Governo "pode mandar" libertar os presos, e que a proposta "carece de viabilidade".

Nesta quinta-feira, o presidente cubano disse em Brasília que se dispõe a, amanhã mesmo, mandar para os EUA os presos de consciência da ilha, "com família e tudo", se Washington devolver os chamados "cinco heróis", como são conhecidos na ilha os cinco agentes presos em solo americano.

Gerardo Hernández, René González, Antonio Guerrero, Ramón Labañino e Fernando González foram detidos no estado da Flórida (EUA) em 1998 e cumprem pena por ameaça à segurança dos EUA.

Por sua vez, Laura Pollán, uma das fundadoras do movimento Damas de Branco, que reúne mulheres dos 75 opositores condenados em 2003 a penas de até 28 anos de prisão, afirmou que a maioria destes "não estão dispostos a serem trocados".

"É uma falta de respeito propor isto publicamente, uma vez que desde 2003 já sabíamos que esse era o objetivo: trocar 15 do grupo" de dissidentes por cada um dos agentes, disse Pollán à Efe. EFE rmo/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.