Dissidente sírio é condenado a 6 meses de prisão por difamar Estado

Damasco, 29 jun (EFE) - Um tribunal militar sírio condenou hoje a seis meses de prisão o ativista pró-direitos humanos Mohammed Badi Dak al-Bab por divulgar notícias falsas que afetam a imagem do Estado sírio, denunciou a ONG à qual pertence.

EFE |

Dak al-Bab, de 59 anos, é membro da Organização para os Direitos Humanos na Síria, ilegal no país, e é um escritor crítico ao regime de Damasco.

O ativista foi detido em 2 de março após ser interrogado pelo serviço de Inteligência militar sírio sobre as atividades da entidade à qual pertence e sobre seus textos.

Pouco antes, tinha publicado no site da ONG o artigo "Damasco: Capital da Cultura Árabe", no qual denunciava a falta de liberdade de expressão na Síria.

O diretor da organização, Ammar Qurabi, informou hoje à imprensa sobre o acontecimento, disse que os advogados do acusado recorrerão do veredicto, e exigiu a libertação imediata de Dak al-Bab.

Não é a primeira vez que ele é julgado por sua postura crítica.

Em 2000, Dak al-Bab foi condenado a 15 anos de prisão, mas foi libertado em 2005 graças a um indulto presidencial, junto a outros 190 prisioneiros políticos. EFE gb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG