Dissidente Guillermo Fariñas volta a ser detido em Cuba

Detenção de dissidente cubano ocorreu quando ele se dirigia a delegacia para obter informação sobre três opositores

EFE |

O dissidente cubano Guillermo Fariñas, agraciado no ano passado pelo Parlamento Europeu com o prêmio Sakharov, voltou a ser detido pela polícia cubana na quinta-feira na cidade de Santa Clara juntamente com outras 12 pessoas, informou sua mãe, Alicia Hernández.

Aparentemente, o dissidente se dirigia a uma delegacia para obter detalhes da situação de três opositores que haviam sido detidos na manhã de quinta-feira.

Na rua, Fariñas e seus acompanhantes foram interceptados por agentes que os conduziram a uma delegacia, segundo o relato de Alicia, que acrescentou que no momento da detenção houve maus-tratos por parte dos policiais.

O telefone de Fariñas está sem serviço, e sua mãe obteve as informações com um familiar que acudiu a várias delegacias para saber se o opositor fora detido novamente. A detenção aconteceu por volta das 16h do horário local (19h de Brasília).

Guillermo Fariñas, psicólogo e jornalista independente, havia sido detido por seis horas na quarta-feira também em Santa Clara por participar de um ato de protesto pelo despejo de uma mulher grávida e mãe solteira de dois filhos de um imóvel abandonado onde tinha se instalado.

Desde Miami, a influente Fundação Nacional Cubano-Americana (FNCA) denunciou por meio de um comunicado "esse novo atropelo das forças repressivas do regime castrista e chama à opinião pública internacional para protestar firme e urgentemente por essa nova violação do direito à livre expressão do povo cubano".

    Leia tudo sobre: cubadissidente políticoguillermo fariñas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG