Dissidente chinês pode levar Nobel da Paz 2008, segundo especialistas

O Nobel da Paz pode ser concedido este ano a um dissidente chinês, para lembrar a Pequim seus deveres no campo dos direitos humanos após a realização dos Jogos Olímpicos, quando o governo deixou a desejar neste quesito, estimaram especialistas noruegueses nesta quarta-feira, faltando apenas duas semanas para o anúncio dos resultados do prêmio.

AFP |

"O prêmio finalmente sairá este ano para um dissidente chinês", afirmou Stein Toennesson, diretor do Instituto de Pesquisas para a Paz de Oslo (PRIO), que arrisca o nombre de Hu Jia, "talvez junto com sua mulher".

Hu Jia, uma das vozes mais críticas contra o regime comunista, foi condenado em abril a três anos e meio de prisão por tentativa de subversão.

Ao todo, 197 pessoas e organizações, cujas identidades são mantidas sob segredo absoluto, concorrem à premiação organizada pelo Comitê Nobel no dia 10 de outubro.

"Após o sucesso dos Jogos Olímpicos deste verão (no hemisfério Norte), a RPC (República Popular da China) deve estar madura o suficiente para aceitar o prêmio sem se indignar", comentou Toennesson durante um encontro com a imprensa em Oslo.

Segundo os defensores chineses e estrangeiros das liberdades, no entanto, os Jogos Olímpicos - realizados entre os dias 8 e 24 de agosto em Pequim - não melhoraram a situação dos direitos humanos na China, como se acreditou a princípio.

"Observamos muita repressão durante os Jogos, uma forma muito imatura de lidar com os direitos humanos e a democracia, tentando censurar os jornalistas", disse Janne Haaland Matlary, professora de política internacional da Universidade de Oslo.

phy/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG