Dissidente chinês apela de condenação a 11 anos de prisão

O dissidente Liu Xiaobo, condenado a 11 anos de prisão por ter defendido a democratização da China, apelou da sentença, mas tem poucas esperanças de obter uma revisão da pena, informou à AFP um de seus advogados.

AFP |

"Liu Xiaobo apresentou um recurso direto ao tribunal, em 29 de dezembro", declarou o advogado Shang Baojun.

"Mas sabe que não há muitas esperanças de que o veredicto seja revisado", completou.

Liu, 54 anos, foi detido em dezembro de 2008 e condenado em 24 de dezembro de 2009 a 11 anos de prisão, sob a acusação de "subversão", por ter sido um dos autores da Carta 08, que pedia a democratização do regime comunista chinês.

Liu, escritor e ex-professor universitário, passou um ano e meio na prisão após a repressão do movimento pró-democracia da Praça da Paz Celestial (Tiannamen) de Pequim em junho de 1989. Também cumpriu três anos no "campo de reeducação pelo trabalho", de 1996 a 1999.

A "Carta '08", inspirada na Carta 77 de dissidentes da então Tchecoslováquia, foi publicada em 10 de dezembro de 2008, por ocasião do 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, com 300 assinaturas de intelectuais e militantes chineses.

sai-frb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG