Dissidência cubana pede encontro com Bachelet

Santiago do Chile, 4 jan (EFE).- O líder da organização oposicionista Agenda para a Transição de Cuba, Vladimiro Roca, disse que solicitou uma reunião com a presidente chilena, Michelle Bachelet, que fará uma visita oficial a Havana em 13 de fevereiro.

EFE |

O pedido foi enviado na segunda-feira à embaixada chilena na ilha por uma carta, mas ainda não teve resposta, afirmou hoje a edição eletrônica do jornal "El Mercurio".

Na semana passada, o subsecretário de Relações Exteriores do Chile, Alberto Van Klaveren, anunciou uma reunião deste tipo não está contemplada, pois convite de Cuba é para que Bachelet realize uma visita de Estado, cujo protocolo "compreende reuniões com as autoridades oficiais do país".

De acordo com Roca, o encontro de Bachelet com a oposição e o povo cubano é um necessário, pois o contrário constitui um "respaldo" ao regime.

"Neste momento, em que a situação cubana está mal, com presos políticos e uma tirania, (a reunião) é um gesto de solidariedade com o Governo, não com o povo cubano, que sofre esta tirania", sustentou.

"Achamos que ela deveria reunir-se com parte da sociedade civil e, sobretudo, com defensores de direitos humanos e ativistas pró-democráticos", acrescentou.

Bachelet vai Cuba para assistir à Feira do Livro de Havana, sendo a primeira presidente chilena a visitar a ilha desde Salvador Allende, em dezembro de 1972. EFE ov/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG