'Disse a Berlusconi que era menor', afirmou 'Ruby' em depoimento

Segundo interrogatório revelado pelo La Reppublica, pivô de escândalo sexual recebeu de premiê italiano 50 mil euros em encontro

EFE |

O primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, sabia que a jovem marroquina Karima el Mahroug, conhecida como Ruby R., era menor de idade em março de 2010 e supostamente manteve relações sexuais com ela em abril e maio, segundo depoimento da jovem à promotoria revelado nesta quarta-feira pelo jornal "La Republica".

A revelação foi feita um dia depois de uma juíza decidir que Berlusconi será julgado a partir de 6 de abril por suposta incitação à prostituição de menores e abuso de poder pelo caso relacionado a Ruby. Nesta quarta-feira, o premiê italiano afirmou não estar preocupado com o julgamento .

Segundo o diario italiano, a jovem contou à promotoria que, a princípio disse a Berlusconi ter 24 anos, mas depois confessou ser menor de idade quando o líder quis lhe dar um apartamento em Milão.

Na noite do primeiro encontro, em 14 de fevereiro, Ruby entrou no quarto com o primeiro-ministro, e Berlusconi lhe deu "50 mil euros, uma quantia que nunca havia visto junta" em sua vida.

Pelo interrogatório de Ruby R. feito pela promotoria e as intercepções telefônicas, foi possível descobrir que, após o primeiro encontro com Berlusconi, os dois não falaram em outro assunto a não ser sexo e que líder se mostrou disposto a pagar muito dinheiro.

Ficou comprovado, por meio das intercepções telefônicas, que Karima esteve na residência de Berlusconi em Arcore (perto de Milão) 15 noites em 77 dias, a primeira vez em 14 de fevereiro e a última em 2 de maio de 2010.

Durante os 77 dias, falou por telefone com Berlusconi 67 vezes. A própria Ruby narrou à promotoria que em fevereiro Berlusconi acreditava que ela tinha 24 anos, mas em março, quando lhe ofereceu um apartamento em Milão de graça e por cinco anos, Karima percebeu que tinha um problema por que havia mentido. "Menti para Berlusconi e disse que tinha 24 anos e era egípcia. Quando me propôs a casa, não pude mentir mais. Disse a verdade, que era menor de idade e não tinha documentos", acrescentou.

Berlusconi não se surpreendeu nem se afastou imediatamente e propôs o que agora utiliza a promotoria pela acusação de abuso de poder: "Diga que é sobrinha do (ex-presidente egípcio Hosni) Mubarak, assim poderá justificar todo o dinheiro que coloquei à sua disposição", sugeriu.

Por isso, quando Ruby R. foi detida em 27 de maio de 2010 por furtar 3 mil euros de uma amiga e um colar de ouro branco, Berlusconi se preocupou do que pudesse surgir de um possível interrogatório e fez uma ligação à delegacia de Milão, onde a jovem permanecia detida, pedindo que a libertassem por ser sobrinha do então presidente.

Reuters
Berlusconi concede entrevista coletiva em Roma
Uma vez liberada e entregue à conselheira da região da Lombardia, Nicole Minetti, Ruby R. relatou que Berlusconi ligou: "Só poderemos nos ver quando você for maior de idade", condição que Karima alcançou em novembro, um mês depois da Promotoria de Milão tivesse iniciado as investigações.

    Leia tudo sobre: itáliasilvio berlusconirubyescândalo sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG