Disparo gera alarme de atentado em despedida de Sarkozy em Israel

Jerusalém, 24 jun (EFE).- Um disparo que teria sido do suicídio de um soldado israelense no aeroporto de Tel Aviv colocou hoje um abrupto fim à visita à região do presidente francês, Nicolas Sarkozy, cujos guarda-costas o colocaram o mais rápido possível no avião junto com a esposa, Carla Bruni.

EFE |

Segundo a imprensa local, o presidente francês e a esposa saíram ilesos do incidente, assim como o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que foi imediatamente cercado por agentes de segurança e colocado em seu automóvel.

O alarme foi gerado por um disparo ouvido a cerca de 200 metros do avião, quando um militar se suicidou, segundo a organização de voluntários Zaka, mas outras versões indicam um acidente com a arma.

Quando foi esclarecido o incidente, os guarda-costas permitiram que o presidente israelense, Shimon Peres, subisse no avião para se despedir pessoalmente de Sarkozy, que concluiu, assim, uma visita de três dias a Israel e aos territórios palestinos. EFE ap/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG