PROVIDENCE, EUA (Reuters) - As negociações nucleares entre Estados Unidos e Coréia do Norte nesta semana em Pyongyang foram produtivas, disse na sexta-feira uma importante autoridade norte-americana. Eles mantiveram discussões longuíssimas e suponho que produtivas, disse o secretário-assistente de Estado Christopher Hill a jornalistas em Providence, Rhode Island, onde fez palestra na Universidade Brown.

'Eles lidaram com vários elementos que precisamos ter em vigor para conseguirmos essa declaração', disse ele, em alusão ao inventário completo das atividades nucleares norte-coreanas, que o regime comunista deveria ter entregado até 31 de dezembro último.

Hill disse que o diplomata norte-americano Song Kim voltou aos Estados Unidos depois de 'três dias de discussões muito abrangentes em Pyongyang', supostamente voltadas para a questão do plutônio norte-coreano.

A declaração é parte de um acordo pluripartite que garante benefícios políticos e econômicos à Coréia do Norte em troca de o país abrir mão de seu arsenal nuclear.

Mas a entrega do inventário está atrasada por causa da relutância da Coréia do Norte em discutir eventuais transferências de tecnologia nuclear para terceiros países, especialmente a Síria, e também a sua suposta intenção de dominar o enriquecimento de urânio.

O atual programa nuclear norte-coreano, que já levou ao teste de uma arma atômica em outubro de 2006, se baseia no plutônio. Dominar o ciclo do urânio seria um avanço e criaria uma segunda fonte de material para o país.

(Por Jason Szep)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.