Dirigentes tâmeis foram mortos quando pretendiam se entregar

Dois dirigentes dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) foram mortos pelos próprios companheiros de guerrilha ou foram executados pelo Exército do Sri Lanka quando pretendiam se entregar, segundo a Cruz Vermelha e diplomatas.

AFP |

Os dois líderes guerrilheiros assassinados são B. Nadesan, chefe do gabinete político dos Tigres Tâmeis, e S. Pulideevan, secretário de Paz do movimento.

Os dois tentaram se entregar às autoridades de Colombo horas antes do anúncio, segunda-feira, da vitória final sobre a guerrilha separatista tâmil realizado pelas autoridades do Sri Lanka, segundo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e alguns diplomatas.

Segundo um diplomata que pediu anonimato, os dois informarma que se renderiam, com uma bandeira branca e acompanhados por suas famílias.

"Depois, na manhã de segunda-feira, ouvimos as autoridades cingalesas anunciando as mortes", disse.

Ele afirmou que os dois podem ter sido executados pelos próprios companheiros pela ideia de rendição ou podem ter sido mortos pelo Exército, que avançava contra o último reduto tâmil.

O secretário cingalês das Relações Exteriores, Palitha Kohona, afirmou que o LTTE matou os dois.

sas-bur/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG