Dirigente que disse que carga de navio ucraniano ia para o Sudão é preso

NAIRÓBI - O diretor do Programa de Assistência Marítima para o leste de África, Andrew Mwangura, foi preso na última quarta na cidade portuária de Mombaça (sudeste do Quênia) aparentemente por suas declarações sobre o seqüestro do navio ucraniano Faina e o destino da carga de armas que transporta.

EFE |

O Faina, de bandeira de Belize, procedente do porto de Nikolayev e que se dirigia para Mombaça com 33 tanques T-72, lança-granadas e muita munição, foi capturado na última quinta por piratas, que obrigaram a tripulação a parar a embarcação diante do litoral da Somália.

Mwangura foi o primeiro a declarar que o armamento era destinado para o Governo autônomo do sul do Sudão. O Quênia foi o mediador do acordo de paz que em 2005 acabou com a guerra entre as autoridades de Cartum e os então rebeldes do sul do Sudão, que agora governam esta região.

Entretanto, a Polícia queniana em Mombaça não especificou as razões que motivaram a prisão de Mwangura, cuja informação sobre o destino das armas que transporta o Faina contrasta com a versão oficial do Governo do Quênia, que afirma que era para seu próprio Exército.

Em uma tentativa para demonstrar que a carga pertence ao Quênia, o porta-voz oficial do Governo queniano, Alfred Mutua, mostrou na última segunda cópias da fatura da transação com o Ministério da Defesa ucraniano e uma carta, documentos estes que, segundo publica hoje o jornal local "Daily Nation", "não esclarecem nada".

Andrew Mwangura é a fonte habitual de informação sobre os seqüestros de navios nas proximidades do litoral da Somália e do Quênia e foi detido quando saía da sede do jornal "Standard" em Mombaça, onde havia concedido informações para jornalistas.

O diretor do PAM contradisse reiteradamente as declarações do Governo do Quênia sobre o destino das armas da embarcação ucraniana e afirmou também que o embaixador somali na Rússia autorizou este país a usar suas forças militares, caso fosse necessário, para conseguir a libertação de três de seus cidadãos que fazem parte da tripulação do Faina.

Leia mais sobre piratas

    Leia tudo sobre: seqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG