Dirigente do Partido Islâmico do Iraque é assassinado em Mossul

Bagdá, 7 ago (EFE).- Um dirigente do Partido Islâmico Iraquiano foi assassinado hoje junto com seu guarda-costas na cidade de Mossul, 400 quilômetros ao norte de Bagdá, informaram fontes da formação política à qual a vítima pertencia.

EFE |

As fontes, citadas pela agência de notícias "Aswat al-Iraq", disseram que o político e também clérigo Mahmoud Yunis, conhecido como Abu Hafsa, foi baleado por vários homens armados em Masada, nas proximidades de Mossul, quando ia para o trabalho.

Após cometer o crime, os assassinos fugiram do local.

O Partido Islâmico do Iraque é a principal força política sunita do país e é dirigido por um dos vice-presidentes do Iraque, Tareq al-Hashemi.

O assassinato deste alto responsável é o último de uma série de atentados contra membros desta formação.

No início de julho, outro membro do partido, Abd Elbari Ibrahim, foi assassinado por um grupo de insurgentes em casa na localidade de Tal Afar, 60 quilômetros ao oeste de Mossul.

Além disso, fontes do Ministério da Defesa iraquiano anunciaram hoje que mais de mil de famílias voltaram para casa na província de Diyala, no nordeste do país, desde o início da grande operação contra os insurgentes na zona.

Além disso, outras nove pessoas foram detidas durante o desenvolvimento da operação, que começou há dez dias e na qual foram detidos cerca de 500 supostos rebeldes.

O porta-voz do Departamento de Defesa iraquiano, Muhamad al-Askari, disse à agência de notícias "Aswat al-Iraq" que 1.005 famílias deslocadas conseguiram voltar para casa, principalmente nas localidades de Khalis e Baquba. EFE ah/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG