Dirigente do Fatah faz 1ª visita à Faixa de Gaza desde 2007

Gaza, 3 fev (EFE).- O chefe de Relações Internacionais do movimento nacionalista palestino Fatah, Nabil Shaath, entrou hoje em Gaza, tornando-se o primeiro dirigente desse grupo a visitar o território desde junho de 2007, quando o Hamas assumiu o controle.

EFE |

"Estou feliz, satisfeito e com saudade desta terra. Como sou um otimista, espero deixar Gaza ainda com um maior otimismo", disse Shaath à Agência Efe.

Membro do Comitê Central do Fatah, o dirigente nacionalista, disse que a viagem é para "ver o sofrimento da população" e explicou que terá encontros com membros de seu partido na faixa e "com todos aqueles que queiram reunir-se", em clara alusão ao Hamas.

O líder do Fatah pretende reunir-se com representantes do Hamas, da Jihad Islâmica e líderes das demais facções palestinas para "acabar com a atual divisão e reunificar o povo palestino de Gaza e da Cisjordânia".

Shaath deve visitar os locais destruídos por Israel na ofensiva militar ocorrida entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009.

"Vim para exaltar minha voz contra o mal, não se pode deixar um povo sob assédio contínuo", clamou.

Sobre sua chegada no território controlado por islamitas, manifestou que "não precisa de permissão para visitar a outra parte da sua família, porque esta é também a minha terra e quero ver meu povo".

Shaath foi escolhido devido ao seu perfil conciliador e distante das armas e pelo fato de sua família ter origem na Faixa.

O grupo islamita, vencedor das eleições legislativas palestinas realizadas em janeiro de 2006, assumiu o controle de Gaza em junho de 2007, após enfrentar pelas armas às forças leais ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, também líder do Fatah.

Desde então, ambos os partidos evitam diálogos diretos e os esforços para conseguir um pacto de reconciliação, nos quais as mediações do Egito não alcançaram êxito.

Shaath assinalou hoje que os palestinos "não precisam de outra rodada de negociação com a última, que durou dois anos" e não resultou em nenhum acordo.

Em outubro, o Egito apresentou aos movimentos palestinos um plano de reconciliação que Fatah aceitou imediatamente, mas que o Hamas devolveu solicitando esclarecimentos.

O movimento islamita confirmou que nos últimos dias houve contatos para permitir o retorno de alguns dirigentes do Fatah à Faixa, mas ressaltaram que não tem grandes expectativas que a visita se traduza em alguma conquista política.

"Não impediremos nenhum dirigente honesto de entrar na Faixa, mas também não temos grandes esperanças, inclusive que a visita de Shaath gere algum diálogo direto com o Fatah", declarou Salah al Bardawil, uns dos dirigentes islamitas em Gaza. EFE sar-db-aca-elb/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG