Diretor do FMI diz que a moeda chinesa está muito desvalorizada

O diretor-geral do Fundo Monetário Internacional, Dominique Strauss-Kahn, afirmou nesta quarta-feira que a moeda chinesa está muito desvalorizada. Os comentários foram feitos no Parlamento europeu, em Bruxelas, seguindo o anúncio feito por senadores nos Estados Unidos de que pretendem estudar sanções à China para pressionar o país a valorizar sua moeda.

BBC Brasil |

A política monetária da China vem provocando irritação entre americanos e europeus há anos e também preocupa o FMI.

A China mantém o yuan desvalorizado em relação ao dólar. Grande parte dos economistas acredita que a desvalorização é artificial.

Sanções
Isso dá uma vantagem grande a exportadores chineses, já que seus produtos são comercializados no exterior a preços muito baixos.

Como consequência, a China possui um grande saldo na sua balança comercial, enquanto os Estados Unidos têm déficit.

O FMI acredita que a desvalorização do yuan contribuiu para os desequilíbrios que geraram a crise financeira mundial.

O FMI gostaria de ver o yuan sendo valorizado para permitir que a economia global fique mais estável no futuro.

A principal preocupação do Senado americano é com o comércio. A China é acusada pelos americanos de manipular artificialmente o valor de sua moeda.

A legislação proposta, ainda em um estágio muito preliminar, pede sanções à China caso o país não mude sua política monetária.

Uma autoridade chinesa acusou críticos de exagerar nas críticas ao valor do yuan, afirmando que a taxa de câmbio não é uma poção mágica para resolver os desequilíbrios econômicos mundiais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG