Diplomatas sequestrados no Níger serão libertados em breve, diz jornal

Argel, 14 abr (EFE).- Sequestrados em dezembro pela organização terrorista Al Qaeda para o Magreb Islâmico (Aqmi), o diplomata canadense Robert Fowler, enviado especial da ONU para o Níger, e seu auxiliar Louis Guay serão libertados antes do início do verão (pelo Hemisfério Norte), informa hoje o jornal argelino El Khabar.

EFE |

Os dois diplomatas foram sequestrados, junto com o motorista deles, em 14 de dezembro, quando visitavam uma mina de ouro na região de Samira, no norte do Níger, ação que foi reivindicada em fevereiro pelo ramo da rede terrorista Al Qaeda na região.

A organização exigiu a libertação de diversos de seus integrantes presos na Mauritânia, na Argélia e em outros países em troca da entrega dos reféns.

O jornal diz que os dois diplomatas canadenses já não estão com a brigada da Aqmi dirigida pelo terrorista Yahia Djouadi, afirmando que eles foram entregues no final de março a outro grupo armado que opera na região de Akazit, no norte do Mali, que os manterá em seu poder por um certo tempo antes de libertá-los.

A entrega dos reféns a esse grupo foi feita graças a um acordo supervisionado pelas autoridades argelinas, que a negociaram com a ajuda de chefes tribais do Mali, segundo o "El Khabar".

O acordo foi firmado "sem a menor concessão", assinala o jornal, e a brigada que cometeu o sequestro aceitou entregar os reféns devido "à pressão militar e política" sofrida desde a data do crime.

EFE sk/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG