Os cinco membro permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia e China) chegaram nesta quarta-feira a um acordo sobre o texto de umaresolução para ampliar as sanções contra a Coreia do Norte, informaramfontes diplomáticas. A resolução - negociada também com a participação de Japão e Coreia do Sul - é uma resposta ao teste nuclear e ao lançamento de mísseis de longo e curto alcance realizados no mês passado pelo governo norte-coreano, contrariando as determinações do Conselho de Segurança da ONU.

A previsão é de que os 15 países que integram o Conselho de Segurança se reúnam ainda nesta quarta-feira para discutir o texto. Segundo diplomatas, a votação seria realizada na sexta-feira.

De acordo com diplomatas, o esboço da resolução tem 35 pontos e reafirma a proibição de atividades nucleares e testes com mísseis imposta pela ONU à Coreia do Norte.

Embargo
O texto do esboço de resolução também pede, segundo as fontes diplomáticas, um embargo para o comércio de armas e sanções financeiras contra a Coreia do Norte.

Os Estados Unidos e o Japão vêm pressionando por sanções severas para punir a Coreia do Norte pelo teste nuclear realizado em maio.

No entanto, China e Rússia têm demonstrado cuidado para não provocar o governo norte-coreano.

O governo americano diz que descarta uma ação militar contra a Coreia do Norte e prefere apostar nos esforços diplomáticos internacionais.

Na terça-feira, a Coreia do Norte disse que, caso seja provocada, usará armas nucleares em uma "ofensiva cruel".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.