Diplomatas do Irã e da Otan se encontram pela primeira vez em 30 anos

O secretário-assistente para Questões Políticas da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Martin Erdmann, confirmou ter encontrado o embaixador do Irã para a União Europeia, Ali-Asghar Khaji, para negociações informais há pouco mais de duas semanas. Esta foi a primeira vez em 30 anos que um diplomata iraniano se encontra com um oficial da Otan.

BBC Brasil |

"Este é mais um bom passo para que o Irã volte à comunidade internacional", disse Erdmann.

"Tenho certeza de que acontecerão outros encontros", completou.

Segundo um porta-voz da Otan, James Appathurai, as conversas entre os dois diplomatas se concentraram na questão do Afeganistão.

Apesar de terem divergências sobre o programa nuclear de Teerã, tanto o Irã como os países da Otan têm interesse na estabilidade do Afeganistão.

Demonstrando este interesse na estabilidade da região, o Irã também confirmou que participará de uma conferência sobre o Afeganistão apoiada pelos Estados Unidos, que acontece na próxima terça-feira em Haia, na Holanda.

Participam da rodada de negociações o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, e negociadores de mais de 80 países.

"O fato de o Irã ter decidido participar é uma boa notícia e também constitui um novo passo", afirmou o porta-voz Appathurai.Em Washington, um porta-voz do Departamento de Estado, Gordon Duguid, também comemorou a decisão de Teerã de participar das negociações em Haia.

"Os iranianos estarão na mesa (de negociações) e nós ouviremos seus pontos de vista, assim como eles ouvirão nossas opiniões sobre o Afeganistão", disse.

Algumas fontes sugerem que os países da Otan que mantêm forças na Afeganistão teriam interesse em usar o Irã como uma rota para o transporte de suprimentos.

Correspondentes também notam que a abertura no diálogo entre o Irã e a Otan acontece em um momento em que o presidente dos EUA, Barack Obama, estabeleceu novas prioridades no Afeganistão e sinalizou uma vontade de revitalizar as relações com Teerã.

Os Estados Unidos cortaram as relações diplomáticas com o Irã após a Revolução Islâmica no país, em 1979.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG