Por Mark Heinrich e Sylvia Westall VIENA (Reuters) - O diplomata japonês Yukiya Amano foi eleito nesta quinta-feira por estreita margem de votos para dirigir a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), órgão da ONU encarregado da supervisão do uso pacífico da energia nuclear.

Amano prometeu enfrentar as tensões entre países ricos e pobres que enfraquecem a luta contra a proliferação de armas nucleares.

Os desafios dele incluem a expansão do programa de enriquecimento de urânio do Irã, as investigações atualmente estancadas sobre suposta atividade militar nuclear na Síria e Irã e os testes atômicos da Coreia do Norte.

Amano teve amplo apoio das nações industrializadas e derrotou o sul-africano Abdul Samad Minty em uma votação que requereu seis rodadas, já que as cinco primeiras foram inconclusivas. Esta foi a segunda tentativa de Amano de se tornar diretor da AIEA. A outra votação foi em março, mas terminou em impasse.

Amano, de 62 anos, será o sucessor de Mohamed ElBaradei, que foi laureado com o Prêmio Nobel e se aposenta em novembro, depois de 12 turbulentos anos na agência,

Ele conseguiu conquistar a maioria de dois terços dos votos do corpo diretivo que se posicionaram. Dos 35 países-membros, 23 votaram nele e 1 se absteve.

"Todo mundo parecia um pouco melancólico quando o resultado foi anunciado", disse um diplomata europeu na sessão a portas fechadas. "Houve silêncio total", afirmou outro.

Diplomatas disseram que alguns membros europeus votaram com relutância em Amano, desapontados pelo fato de não ter entrado na disputa um candidato mais agregador, mais propenso a acordos.

Países pobres consideram Amano um instrumento das grandes potências que pressionam a AIEA a ser mais rígida na questão da proliferação, valendo-se dessa preocupação como uma desculpa para deixar de compartilhar tecnologia nuclear destinada a projetos de desenvolvimento.

Diplomatas disseram que a Rússia expressou reservadamente a outros membros do corpo diretivo que seria "inaceitável" se Amano fosse eleito pela simples margem mínima de votos. Isso iria aprofundar ressentimentos que poderiam minar sua autoridade, disseram.

Amano afirmou que vai direcionar os recursos da AIEA entre inspeções antiproliferação e a promoção do uso seguro da energia nuclear para modernização e medicina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.