O cineasta francês Séverin Blanchet e o diplomata italiano Pietro Antonio Colazzo estão entre os 18 mortos em um ataque lançado nesta sexta-feira pelo Taleban contra dois hotéis populares entre estrangeiros em pleno centro de Cabul, capital do Afeganistão.

Além dos dois cidadãos europeus, o atentado também deixou muitos afegãos e indianos mortos e mais de 30 feridos.


Soldados patrulham área do ataque em Cabul, capital do país / AFP

No início da manhã, um primeiro terrorista suicida detonou um carro-bomba diante de um dos hotéis, o Aria, popular entre os indianos. Enquanto isso, homens-bomba e um grupo de atiradores invadiam o Park Residence, localizado ao lado do Aria e frequentado por ocidentais, começando um tiroteio com as forças de segurança que durou mais de 90 minutos.

De acordo com o chefe da Polícia de Cabul, general Abdul Rahman Rahman, o diplomata Colazzo chegou a transmitir informações para os policiais por telefone sobre a posição dos terroristas até ser morto por um deles. "Foi um homem corajoso e nos passou preciosas informações que possibilitaram à polícia retirar do local outros quatro italianos", explicou o chefe de polícia.

Depois, enquanto clientes e funcionários deixavam o Residence Park pelas janelas, os policiais invadiram o edifício. Um dos terroristas acionou explosivos em um quarto, matando três policiais, e o segundo resistiu antes de ser morto, também de acordo com o general Rahman.

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, lamentou a morte de Colazzo, que trabalhava na embaixada italiana no Afeganistão. "Recebo com muita dor a notícia da morte do diplomata Pietro Antonio Colazzo, um fiel servidor do Estado que morreu cumprindo seu dever num país martirizado por infames atos terroristas", disse em nota divulgada pela chefia de governo.

O documentarista francês Séverin Blanchet, que dedicava-se à formação de jovens cineastas afegãos, também morreu no ataque, segundo o ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner.

Blanchet, de 66 anos, trabalhava, desde 2006, na formação de jovens cineastas afegãos e realizou com eles mais de 20 filmes, "vários elogiados pela crítica internacional", destacou o ministro. "Prosseguiremos com determinação a obra com a qual se comprometeu com generosidade e solidariedade", disse Kouchner.

Segundo ministro das Relações Exteriores da Índia, S.M. Krishna, há até nove indianos entre os mortos.

Taleban assume ataque

"Reivindicamos" o ataque, declarou por telefone Zabihullah Mujahed, porta-voz dos insurgentes islamitas. "Oito combatentes nossos realizaram o ataque, um detonou seu carro-bomba diante de um hotel, outros dois também ativaram suas bombas. Os outros permanecem presentes no local", assegurou.

O ataque desta sexta-feira ocorre enquanto 15 mil soldados das forças internacionais e afegãs estão envolvidos há 13 dias numa ampla ofensiva contra um reduto da milícia islâmica na Província de Helmand, no sul do país.


Centro comercial ficou destruído após explosão / Reuters

Apesar da presença de 121 mil soldados das forças internacionais no Afeganistão, as ações da guerrilha e os atentados do Taleban dizimam cada vez mais os militares estrangeiros. Em 2009, morreram 520 no país, tendo sido o mais mortífero dos oito de guerra.

Cem soldados das forças internacionais morreram no Afeganistão durante os dois primeiros meses de 2010.

*Com informações da AFP

Leia mais sobre Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.