Diplomata iraniano detido no Iraque em 2007 acusa EUA de tortura

Teerã, 11 jan (EFE).- Um dos cinco diplomatas iranianos detidos pelos Estados Unidos no norte do Iraque em 2007 e libertados dois anos depois acusou o Exército americano de cometer tortura.

EFE |

Em entrevista concedida à agência de notícias local "Fars" e reproduzida em parte pela televisão estatal por satélite, Majid Qaemi Heydari assegura que foi agredido com brutalidade durante o tempo em que esteve detido.

"Cobriram as nossas cabeças e nos algemaram. As algemas estavam tão apertadas que me causaram ferimentos", explicou Heydari, ao ressaltar que o tratamento recebido foi pior que o dado aos presos iraquianos.

Em abril de 2007, unidades do Exército americano invadiram o Consulado do irã na cidade iraquiana de Erbil e capturaram cinco iranianos que portavam passaportes diplomáticos da República Islâmica.

Após dois anos em cativeiro, todos foram libertados em 9 de junho do ano passado. EFE jm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG