Diplomata dos EUA expulso hoje por Correa deixou Equador em janeiro

O diplomata americano Armando Astorga, cuja expulsão foi determinada neste sábado pelo presidente do Equador, Rafael Correa, não está no país desde janeiro, disse à AFP a porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Quito, Marta Youth.

AFP |

Astorga, adido americano para Assuntos Migratórios, de Segurança e de Aduana, "saiu do Equador desde o início de janeiro, como parte de uma rotação normal do pessoal da embaixada", anunciou Youth.

Correa havia dado um ultimato de 48 horas para a saída do diplomata, após acusá-lo de usar uma ajuda de 340.000 dólares para tentar controlar a unidade da Polícia equatoriana responsável pela luta anticontrabando.

O governo americano "espera tratar do caso com as autoridades equatorianas esta semana, mas, de pronto, deve-se dizer que valoriza a cooperação bilateral com o Equador", completou a porta-voz, que evitou reagir às declarações de Correa.

Astorga ficou dois anos em Quito, segundo a legação diplomática.

"Nossa cooperação com a Polícia equatoriana foi muito importante", frisou Young, acrescentando que a embaixadora Heather Hodges esperará a discussão sobre o tema para estabelecer uma posição.

vel/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG