Caracas, 11 jan (EFE).- O encarregado de negócios da Embaixada dos Estados Unidos em Caracas, John Caulfield, disse que o encontro que teve hoje com o ministro das Relações Exteriores venezuelano, Nicolás Maduro, foi positivo e defendeu um maior diálogo entre os dois países.

Ao deixar a Chancelaria venezuelana, Caulfield disse à imprensa que o ministro tinha lhe chamado para "expressar sua inquietação pelo que entende como uma violação" do espaço aéreo do país por aviões militares dos EUA.

"Primeiro, agradeço ao chanceler a oportunidade de falar com ele desse assunto. Pude assegurar que nenhum avião militar americano violou o espaço aéreo nos últimos tempos", disse o encarregado de negócios.

Além disso, Caulfield expressou a intenção do Governo dos EUA de "melhorar o diálogo" e as relações bilaterais entre os dois países.

"Não temos nenhuma intenção de provocar. Devemos melhorar as relações de acordo com esses interesses em comum", disse, antes de insistir na necessidade de um "diálogo mais frequente", especialmente quando surgem "problemas ou mal-entendidos".

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou na sexta-feira que uma aeronave militar americana violou o espaço aéreo de seu país durante pouco mais de meia hora em duas incursões.

Em suas declarações à imprensa, Caulfield comentou que Maduro mencionou também a intenção da Venezuela de ter "uma relação normal" com os EUA.

O encarregado de negócios disse que as gravações sobre o suposto sobrevoo de um avião militar americano correspondem a um evento ocorrido "há dois anos, em 2008", sobre o qual já conversaram Maduro e o embaixador americano em Caracas, Patrick Duddy.

Segundo Caulfield, este evento, que teria sido um erro do piloto americano, foi "reconhecido pelos EUA e superado".

Os diplomatas "devem conversar antes de ir à imprensa se há interesse em entender o que aconteceu", disse o diplomata americano.

Caulfield compareceu à Chancelaria venezuelana como representante de sua Embaixada, já que Duddy está fora do país. EFE eb/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.