Por Alamgir Bitani PESHAWAR, Paquistão (Reuters) - Homens armados sequestraram o principal diplomata afegão no Paquistão, nesta segunda-feira, na cidade de Peshawar, depois de matarem a tiros o motorista, informou a polícia.

Abdul Khaliq Farahi é o embaixador afegão no Paquistão, mas ainda serve como cônsul-geral em Peshawar, posto que detém desde a queda do Taliban, em 2001.

'O cônsul-geral estava voltando para casa quando seu carro foi alvo de tiros. O motorista foi morto e homens não identificados sequestraram o cônsul-geral', disse uma autoridade afegã em Peshawar, sob a condição de anonimato.

A situação da segurança da capital da Província de Frontier, no noroeste do país, piorou muito no último ano.

O Exército lançou uma operação nas fronteiras de Peshawar, em junho, em resposta ao temor de que o Taliban ou gangues criminosas se fortalecessem dentro da cidade.

Atiradores já tinham atacado o carro do diplomata em agosto, mas ele escapou ileso, pois o motorista conseguiu fugir.

Depois do sequestro, uma testemunha ocular disse a um jornalista da Reuters que os atiradores interceptaram o carro do consulado e mataram o motorista, antes de levarem duas pessoas.

A testemunha foi retirada do local pela polícia antes que pudesse terminar o relato e dizer seu nome.

O chefe da polícia de Peshawar, Malik Naveed Khan, pôde confirmar apenas o sequestro do cônsul-geral.

'Não sabemos muitos detalhes, mas o cônsul-geral foi levado por atiradores que mataram seu motorista', disse a polícia.

'Começamos a checar veículos em vários pontos da área'.

Em fevereiro, o embaixador paquistanês no Afeganistão foi sequestrado em fevereiro, quando passava perto da região tribal de Khyber, na fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão. Ele se dirigia à capital, Cabul. O enviado foi libertado pelo Taliban paquistanês em maio.

A British Airways suspendeu os vôos para o Paquistão devido aos temores quanto à segurança do país. Na noite de sábado, um caminhão-bomba explodiu no hotel Marriott, em Islamabad, matando 53 pessoas.

O embaixador tcheco no país disse que pelo menos três estrangeiros estão entre os mortos no ataque, que também feriu 266 pessoas e teve, segundo as autoridades de segurança, as 'marcas registradas' de um ataque da Al Qaeda.

O chefe do Ministério do Interior, Rehman Malik, disse que o presidente, Asif Ali Zardari, o primeiro-ministro e o comandante do Exército jantariam no hotel, no sábado, mas o local do jantar foi mudado de última hora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.