Diminuem dúvidas sobre referendo revogatório na Bolívia

LA PAZ (Reuters) - As dúvidas sobre se acontecerá o referendo revogatório do mandato do presidente boliviano, Evo Morales, se dissiparam quase completamente neste sábado, depois de a maioria dos governadores oposicionistas concordar em se submeter à consulta, disse a imprensa local. A continuidade dos mandatos do presidente e mais oito dos nove governadores do país será decidida no dia 10 de agosto, em um referendo que pode acabar com o embate entre os que apoiam as reformas indigenistas-socialistas de Morales e os que são a favor das autonomias regionais impulsionadas pela direita.

Reuters |

Participarão do referendo os governadores dos Estados de Santa Cruz, Tarija, Beni e Prado, que não só são os mais ricos como também têm grandes reservas de petróleo. O único que não aceitou se submeter à consulta foi o governador de Cochabamba, o ex-militar Manfred Reyes Villa.

'Os quatro governadores ratificaram sua decisão de participar da consulta revogatória de seus mandatos', publicou no sábado o jornal La Razón, sobre a resolução de autoridades e líderes cívicos opositores. A decisão foi tomada pelo Conselho Nacional Democrático (Conalde), em uma reunião na sexta-feira, em Sucre.

Os governadores de Oruro e Potosí, favoráveis a Morales, além do de La Paz, que se opõe ao presidente, também participarão do referendo.

(Por Carlos Alberto Quiroga)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG