Dilma Rousseff recebe alta após miopatia

Brasília, 20 mai (EFE).- A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que luta há dois meses contra um câncer linfático, recebeu hoje alta após 30 horas hospitalizada devido a uma miopatia, mas sua saúde é motivo de preocupação no meio político.

EFE |

Dilma, de 62 anos, tinha sido internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na terça-feira, e os médicos anunciaram que poderia deixar o centro hoje, mas lhe recomendaram repouso, por isso ela cancelou seus compromissos para os próximos dias, disseram fontes oficiais.

A ministra-chefe, proposta pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidata presidencial nas próximas eleições, foi hospitalizada por causa de uma miopatia (afecção muscular), derivada do tratamento de quimioterapia ao qual se submete para combater um câncer linfático descoberto há dois meses.

O estado de saúde de Dilma preocupa o Governo e, especialmente, o PT, que estaria discutindo se ela estará em condições de ser candidata presidencial para as eleições de 2010.

Lula disse hoje, em Pequim, onde estava em visita oficial, que conversou com os médicos da ministra e que eles garantiram que "está bem" e que "só teve uma reação à quimioterapia".

Também negou a possibilidade de se convocar um referendo para tentar disputar um terceiro mandato consecutivo em 2010, quando não poderá ser candidato, pois foi reeleito em 2006 e a Constituição impede uma segunda reeleição consecutiva.

"Não discuto hipótese", porque "não vai haver um terceiro mandato" e porque "Dilma está bem", disse Lula, que reafirmou, portanto, que a ministra continua em seus planos para as eleições do próximo ano.

A declaração de Lula desautorizou o deputado Jackson Barreto (PMDB-SE), que pretende propor um referendo sobre uma possível reforma constitucional que permita ao presidente disputar outra vez o cargo em 2010.

O PT, até agora, posiciona-se oficialmente na mesma linha de Lula, e a maioria de seus dirigentes aposta em que a ministra estará recuperada para a campanha presidencial.

O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante, reiterou hoje que Rousseff "está preparada para 2010" e "é a candidata" do partido.

No entanto, fontes do partido admitiram que a evolução do estado de saúde da ministra será determinante para decidir se acabará sendo proclamada candidata ou não, em convenção que deve acontecer no final deste ano. EFE ed/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG