Brasília, 12 dez (EFE).- A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, deu hoje mais um passo rumo a uma possível candidatura à Presidência em 2010, em um ato com dirigentes do PT.

Dilma, já considerada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva "a melhor candidata" do PT para as próximas eleições, nas quais ele não poderá concorrer, foi aclamada pelos líderes do partido e aplaudida de pé após um discurso sobre as obras do atual Governo.

Esse foi o primeiro ato do partido do qual a ministra participou sem a companhia de Lula desde que o presidente a mencionou como sua aposta para 2010 há dois meses.

O presidente da legenda, Ricardo Berzoini, concordou que o PT "não tem melhor opção" para as eleições e sustentou que, embora ela não seja a única candidata possível, "não há resistências" dentro do partido em relação à sua candidatura.

Em suas quase três décadas de história, o PT só teve Lula como candidato presidencial, que por já ter sido reeleito uma vez não poderá ser candidato nas próximas eleições.

"É óbvio que teremos que esperar até o próximo ano e ver se aparecem outras possíveis candidaturas, pois só haverá uma definição no quarto congresso do partido", previsto para fevereiro de 2010, disse Berzoini.

O dirigente da legenda declarou que "o projeto nacional do PT" é agora as eleições de 2010, "para seguir avançando e evitar um retrocesso aos tempos terríveis do neoliberalismo".

Berzoini avaliou a participação de Dilma nas eleições municipais realizadas em outubro, nas quais o número de prefeitos do partido subiu de 411 para 556.

"A ministra não mediu esforços", disse o líder do PT, que não comentou o fato de os candidatos do partido terem perdido em mais da metade das cidades visitadas por Dilma, entre as quais estão São Paulo, Santo André e Porto Alegre.

Berzoini também minimizou a importância das pesquisas que foram divulgadas nas últimas semanas e que atribuem pouco apoio popular à ministra.

"Faltam quase dois anos para as eleições", disse.

A última dessas pesquisas de opinião sobre possíveis candidatos presidenciais foi divulgada na segunda-feira passada pelo instituto Datafolha, que pôs Dilma no quarto lugar das preferências, com 8% das intenções de voto.

O favorito, segundo essa e outras enquetes, seria o opositor José Serra, atual governador de São Paulo e dirigente do PSDB, com 41%.

Em segundo lugar, segundo a pesquisa Datafolha, estaria o deputado Ciro Gomes, do PSB, com 15% , enquanto em terceiro se situa Heloísa Helena, do PSOL, com 14% das intenções de voto. EFE ed/ab/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.