Diante de protestos, Berlusconi recua e congela reforma universitária

Roma, 2 nov (EFE).- O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, decidiu congelar o projeto de reforma universitária que seu Governo pretendia apresentar esta semana, após os protestos estudantis contra a nova Lei de Educação, informa hoje o jornal La Repubblica.

EFE |

Segundo a publicação, as manifestações de alunos, pais e professores, que levaram à paralisação do setor na quinta-feira - dia seguinte ao da aprovação da lei -, conseguiram, ao menos por enquanto, paralisar a reforma universitária.

O "La Repubblica" diz que a inconformidade das famílias foi o que levou Berlusconi a considerar o congelamento temporário do projeto.

De acordo como jornal, após os protestos contra a nova Lei de Educação, o primeiro-ministro decidiu conduzir com mais calma a reforma universitária e adiar momentaneamente a apresentação de um projeto para as universidades.

O texto promovido pela polêmica ministra da Educação, Mariastella Gelmini, diminui o orçamento dos centros universitários, bloqueia a "proliferação" das disciplinas e suspende até a realização de concursos públicos para a contratação de professores. EFE mcs/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG