Diante da gripe suína, médico uruguaio se isola após voltar do México

Montevidéu, 2 mai (EFE).- Um médico uruguaio se isolou da família por decisão própria após visitar o México por temor de estar com o vírus A (H1N1) da gripe suína, informa hoje a imprensa local.

EFE |

Juan Antonio Echagüe é um oftalmologista uruguaio que viajou à cidade mexicana de Guadalajara convidado, junto com outros colegas de várias nacionalidades, a conhecer instalações médicas.

"Quando chegamos a Guadalajara, a situação não era tão grave e até brincaram, dizendo que matavam a gripe com tequila", disse Echagüe ao jornal "El Observador".

Quando o panorama sanitário se complicou, "nos tiraram o mais rápido possível do México", disse.

Ao chegar ao aeroporto de Montevidéu, o médico teve que responder a um questionário sobre seu estado de saúde e deixar seus dados, como parte da barreira sanitária colocada pelo Ministério da Saúde do Uruguai.

Os parentes do médico manifestaram sobre o temor de pegar a doença e o médico decidiu se isolar em uma casa de praia, cerca de 90 quilômetros de Montevidéu.

"Se infectar alguém, minha consciência como médico não me perdoaria", disse.

Echagüe disse que "é possível estar incubando o vírus sem ter sintomas e também pode ser contagioso".

"O vírus pode levar até dez dias para se manifestar, por isso vou a ficar isolado até a próxima terça-feira", afirmou.

As autoridades sanitárias uruguaias determinaram várias medidas de prevenção para que a gripe suína não chegue ao país, e mantêm em observação três pessoas que viajaram recentemente ao México e apresentaram um quadro de resfriado e febre. EFE jf/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG