Diálogo entre governo e oposição continua a portas fechadas na Bolívia

O presidente boliviano, Evo Morales, e os governadores opocisionistas de quatro das nove regiões do país já estão reunidos há mais de sete horas na cidade de Cochabamba para redigir um acordo para pacificar a Bolívia, informaram neste domingo fontes oficiais.

AFP |

O porta-voz da presidência, Iván Canelas, disse em um intervalo do encontro que "todos, absolutamente todos, têm total vontade de conseguir um acordo neste diálogo".

"Tomara que esta vontade expressa por todos possa se transformar já em um acordo que nos ajude a resolver os problemas de nosso país", acrescentou.

A reunião entre Morales e os governadores de Santa Cruz, Tarija, Beni e Chuquisaca teve início às 10H00 (horário local) com a presença de observadores internacionais da OEA, ONU, Unasul e União Européia, além de mediadores das Igrejas católica e protestante.

Canelas confirmou que alentadores avanços estão sendo alcançados nas mesas de discussão dos temas mais polêmicos da crise boliviana, como o imposto sobre os hidrocarbonetos (IDH) e os estatutos de autonomia das regiões rebeldes.

O governo estaria disposto a restituir os recursos do IDH desviados das regiões este ano para financiar aposentadorias, além de criar governos autônomos nos departamentos, municípios e comunidades indígenas "com poder legislativo", mecanismos que deverão ser contemplados em uma nova Constituição.

A proposta do governo foi entregue aos observadores internacionais "para dar conta de tudo o que se avançou nas mesas técnicas de trabalho", declarou o vice-ministro da Descentralização, Fabián Yacksic, sem revelar o conteúdo do documento.

rb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG