Dia do Jovem Combatente no Chile termina com 97 detidos e nenhum ferido

Santiago do Chile, 30 mar (EFE).- A comemoração do Dia do Jovem Combatente no Chile acabou com 97 detidos em distúrbios ocorridos ontem à noite e nesta madrugada em Santiago, mas sem deixar feridos, como aconteceu em outros anos, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Em declarações aos jornalistas, o presidente chileno, Sebastián Piñera, destacou que "não houve nenhuma vítima fatal, nem feridos".

O subsecretário do Interior, Rodrigo Ubilla, fez um balanço positivo do dia ao dizer que o número de detidos foi "muito inferior ao de anos anteriores".

Segundo Ubilla, houve 133 detidos na região de Bio-Bío por violar o toque de recolher imposto pelas autoridades, mas esclareceu que estas detenções não têm relação com fatos violentos.

O Dia do Jovem Combatente foi instituído por organizações populares para lembrar o assassinato dos irmãos Eduardo e Rafael Vergara Toledo por policiais fardados durante um protesto contra a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) em 29 de março de 1985.

No ano passado, o dia terminou com 79 detidos e 19 feridos, 11 deles policiais e oito civis, enquanto em 2008 houve um morto, nove feridos e 122 detidos. EFE mc/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG