Dezoito pessoas são presas durante manifestação na França

Manifestantes protestam contra a reforma que aumenta de 60 para 62 a idade mínima de aposentadoria. Maioria dos detidos é menor

iG São Paulo |

A polícia francesa deteve 18 pessoas, entre elas 10 menores, após confrontos entre jovens manifestantes e forças de ordem, este sábado, no porto de Saint Nazaire (noroeste) depois da manifestação contra a reforma das aposentadorias.

AFP
Jovens foram detidos, segundo a polícia, por atos de vandalismo durante a manifestação

De acordo com a polícia, as pessoas, a maioria de estudantes de ensino médio, foram detidas por lançarem "projéteis" e depredarem um ônibus, bem como por levarem um artefato "incendiário".

Pela quinta vez consecutiva, os franceses se manifestaram contra a reforma impopular que prevê o aumento da idade mínima de aposentadoria de 60 para 62 anos.

Como acontece desde o início do movimento, governo e sindicatos apresentam contagem diferente sobre a participação popular. Segundo o ministério do Interior, 825 mil pessoas foram às ruas - sendo cerca de 50 mil em Paris - o que seria o "mais baixo nível de participação" registrado desde setembro.

A CGT, um dos principais sindicatos franceses, contou "cerca de três milhões" de pessoas nas ruas, o que somaria 310 mil somente na capital.

Os sindicatos já convocaram um novo dia de greve para a próxima terça-feira, véspera da votação no Senado do texto, já aprovado pela Assembleia Nacional. Neste sábado, o conjunto das 12 refinarias francesas estavam em estado de greve e 10 pararam, informou a União francesa das indústrias de petróleo (Ufip), enquanto grevistas continuavam a bloquear alguns depósitos de combustível.

O temor ao desabastecimento é uma realidade e a ministra da Economia Christine Lagarde exortou os franceses a "não entrarem em pânico". A França está preparada, informou ela, indicando que há estoque de combustível em quantidade suficiente para várias semanas.

Reuters
Manifestações lotaram as ruas da França. Governo fala em 825 mil participantes; já sindicato estima em 3 milhões

Os aeroportos franceses podeam enfrentar a falta de querosene já no início da semana: o oleoduto que abastece os aeroportos parisienses está funcionando de maneira descontínua e o Roissy não dispõe de reservas - apenas até a noite de segunda ou terça-feira, segundo o ministério da Ecologia.

Centenas de postos de gasolina estão fechados e há longas filas de motoristas naqueles que funcionam. O governo havia autorizado quinta-feira o desbloqueio de uma parte das reservas comuns de combustível (10 a 12 dias de consumo), mas excluiu a possibilidade de tocar nas reservas estratégicas.

*Com informações da Agência AFP

    Leia tudo sobre: protestosfrançareforma da previdênciaprisões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG