Dezenas de cadáveres são encontrados em navio que naufragou nas Filipinas

Miguel F. Rovira Manila, 24 jun (EFE).

EFE |

- Os mergulhadores encontraram hoje dezenas de cadáveres, mas nenhum sobrevivente, no interior da embarcação que afundou no último sábado na região central das Filipinas com mais de 800 pessoas a bordo, em conseqüência da passagem do tufão "Fengshen", que castigou o arquipélago.

As vítimas mortais do naufrágio foram encontradas flutuando em vários dos compartimentos do barco, depois que os mergulhadores da Marinha e do serviço de Guarda Costeira conseguiram abrir buracos no casco e localizaram aberturas para penetrar na embarcação.

O porta-voz da Marinha filipina, tenente-coronel Edgard Arevalo, declarou à imprensa que os mergulhadores não puderam determinar a quantidade de cadáveres que havia dentro do navio devido à escuridão, embora tenha afirmado que são muitos e que alguns estavam com coletes salva-vidas.

"Estava escuro demais para poder dizer quantos eram crianças ou adultos, mas os mergulhadores assinalaram que a maioria flutuava e que muitos ficaram presos", explicou o porta-voz militar.

O navio Princess of Stars, de aproximadamente 24 mil toneladas e propriedade da empresa filipina Sulpicio Lines, levava a bordo 862 pessoas, incluindo 111 tripulantes, quando virou, cerca de três quilômetros ao sudeste da ilha de Sibuyan.

Até o meio-dia de hoje (horário local), um total de 43 sobreviventes do desastre marítimo haviam sido localizados por aldeãos, navios de pesca ou serviços de resgate.

O acidente pode ter sido o mais grave ocorrido nas Filipinas desde dezembro de 1987, quando cerca de 4.400 pessoas morreram quando o navio Dona Paz se chocou contra um petroleiro.

Alguns dos sobreviventes relataram que cerca de 100 pessoas se atiraram à água no meio da tempestade, antes de a embarcação afundar parcialmente em menos de meia hora.

O porta-voz disse que, ao que tudo indica, os passageiros ficaram receosos de se atirarem ao mar, já que as águas estavam muito revoltas na hora do acidente.

Arévalo indicou que, aparentemente, algumas das pessoas que ficaram dentro da embarcação morreram asfixiadas após sobreviverem ao naufrágio.

Os trabalhos de resgate, que são realizados por cerca de 20 mergulhadores, centram-se agora em trazer à superfície os cadáveres submersos. Tudo é realizado com cautela para evitar que a embarcação - que ainda tem a proa à mostra -, afunde de vez e transborde os quase 100 mil litros de combustível que carrega.

"Está sendo difícil abrir todos os compartimentos do navio, pois é preciso pensar também na segurança dos mergulhadores", apontou o porta-voz.

Enquanto isso, pelo menos oito embarcações da Marinha e do serviço de Guarda Costeira rastreavam, pelo terceiro dia consecutivo e com a ajuda de helicópteros, as águas da região central do arquipélago, especialmente as próximas às ilhas da província de Romblon e à costa da vizinha Masbate.

No começo da manhã, um helicóptero da aviação militar americana, proveniente da base de Okinawa, no Japão, avistou 12 cadáveres flutuando perto de Masbate - uma das mais de 7 mil ilhas do arquipélago das Filipinas e situada a aproximadamente 60 quilômetros a leste de Sibuyan.

As autoridades não confirmaram se os cadáveres avistados são do Princess of Stars, já que outros navios também naufragaram na área devido ao tufão "Fengshen".

Na segunda-feira passada, antes de anoitecer, outros 35 cadáveres de origem desconhecida foram recuperados quando flutuavam perto das ilhas Burias, também na região central. EFE mfr/fh/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG