Cerca de 10.000 manifestantes antigoverno sitiaram nesta terça-feira as instalações temporárias que o primeiro-ministro tailandês montou no terminal de um aeroporto abandonado com o objetivo de impedir que o poder continue funcionado.

Esta ação foi lançada por uma coalizão autodenominada "Aliança do Povo pela Democracia" (PAD), cujos militantes já haviam cercado na véspera o parlamento de Bangcoc, obrigando o adiamento de uma importante sessão parlamentar.

A PAD ocupa desde 26 de agosto a sede oficial do governo de Bangcoc, o que obrigou o poder a montar um gabinete improvisado no antigo aeroporto de Don Mueang, no norte da capital tailandesa.

A polícia calcula em torno de 10.000 os manifestantes que cercam as instalações de Don Mueang.


Manifestantes ocupam o terminal abandonado / AP

Sondhi Limthongkul, empresário e co-fundador do PAD, afirmou no domingo que o movimento iniciaria a "batalha final" contra o governo, acusado de "corrupto" e de agir sob o comando do destituído primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

"Será nosso dia mais longo. Nesta guerra vamos recuperar nossa capital", afirmou Sondhi.

Thaksin foi premiê durante cinco anos, antes de ser derrubado pelos militares em setembro de 2006. Desde então permanece refugiado no exterior.

No entanto, políticos ligados a Shinawatra voltaram ao poder nas eleições legislativas de dezembro de 2007. O atual governo é comandado por Somchai Wongsawat, cunhado do ex-premier.

Wongsawat não está em Bangcoc, já que participou no fim de semana da reunião de cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia Pacífico (Apec), celebrada em Lima, Peru.

O vice-premier, Chavarat Charnvirakul, convocou uma reunião de urgência de gabinete no antigo aeroporto Don Mueang, onde o governo está instalado desde setembro, quando a sede de governo foi ocupada.

Leia mais sobre Tailândia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.