Dez mil bebês chineses seguem internados por ingerir leite adulterado

PEQUIM - Um total de 10.666 bebês chineses, oito deles em estado grave, seguem hospitalizados com problemas renais devido ao consumo de leite adulterado, informou hoje o Ministério da Saúde chinês em seu site oficial.

EFE |

O Ministério não quis fornecer novos números do total de afetados e manteve os de setembro, de 53 mil doentes e quatro mortos, embora Pequim só confirme três.

No entanto, reconheceu que a cada dia mais bebês são internados em hospitais com problemas renais pouco freqüentes para essa faixa etária.

Somente ontem, 539 crianças foram internadas com problemas deste tipo, embora mais de duas mil já tenham recebido alta desde o começo da crise, informou a nota ministerial.

A grande maioria dos afetados (99,2%) é de crianças com menos de três anos, disse o Ministério em seu comunicado.

Mais de 30 países impuseram restrições à importação de produtos lácteos chineses, e há casos, como o Brasil, que proibiram cautelarmente a entrada de qualquer alimento importado da China.

Esândalo do leite adulterado

O escândalo do leite adulterado com melamina explodiu em 11 de setembro, quando a principal companhia envolvida admitiu publicamente ter problemas com o leite em pó infantil.

Os testes realizados a partir desta data detectaram a presença de melamina em 22 fabricantes. O leite contaminado provocou a morte de ao menos quatro bebês por problemas renais.

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: leite adulterado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG