Dez membros da máfia calabresa são detidos na Itália

Roma, 9 mai (EFE).- A Polícia italiana deteve hoje 10 supostos membros dos clãs da máfia calabresa Nirta-Strangio e Pelle-Vottari, que há anos mantêm uma guerra que já causou numerosas mortes.

EFE |

Os detidos são acusados de homicídio, tráfico e posse de armas, inclusive de guerra, e explosivos, assim como de controlar as atividades ilícitas nos povoados de Locride, a zona da província de Reggio Calabria onde operam.

Também são acusados de pertencer a associações mafiosas que desenvolvem suas atividades principalmente em Luca, pequena população calabresa de menos de 5 mil habitantes, de onde são os clãs, e na Alemanha, especialmente em Kaart e Duisburg.

Em 15 de agosto de 2007, foram assassinadas na pizzaria "Da Bruno" de Duisburg seis pessoas consideradas membros do clã Pelle-Vottari.

Os detidos são María Pelle, de 32 anos, e Antonella Vottari, de 33, mulher e irmã do capo Francesco Vottari, cujo paradeiro é desconhecido; Francesco Barbaro, de 81 anos; o empresário Gianfranco Cocilovo, de 69; Giovanni Marrapodi, de 31; Domenico Mammoliti, de 26; Giuseppe Pelle, de 48, Antonio Romano, de 19; Liano Benas, de 68 e Paolo Nirta, de 31.

As detenções foram realizadas nas localidades de San Luca, Bovalino e Benestere, na Calábria, e nas nortistas Bolonha e Udine.

A operação policial de hoje representa um novo golpe contra os clãs da máfia calabresa, após as operações dos últimos meses, nas quais foram detidas cerca de 40 pessoas. EFE jl/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG