Nova Délhi, 5 mai (EFE).- Dez guerrilheiros têmeis e dois soldados cingaleses morreram em um novo combate registrado na frente norte do Sri Lanka, segundo dados do Governo cingalês, enquanto os Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) deram outra versão.

O combate ocorreu por volta das 10h (1h de Brasília) na linha da frente de Muhamalai, no norte do país, e, segundo o Ministério da Defesa cingalês, foi um ataque dos LTTE que o Exército conseguiu rechaçar.

A ofensiva provocou a morte de dez guerrilheiros - entre eles dois dirigentes - e outros 52 ficaram feridos, segundo a versão oficial, que reconheceu a morte de dois soldados e a existência de 14 militares feridos.

No entanto, a versão do Governo foi desmentida pelos tigres tâmeis, que acusaram o Exército de ter realizado uma nova tentativa de romper as linhas rebeldes, e disseram que oito soldados morreram e outros 20 ficaram feridos no combate.

De madrugada, a guerrilha tinha lançado um ataque contra um posto de vigilância pesqueira no distrito de Mannar, onde três soldados governamentais morreram. O Executivo informou sobre a morte de um militar.

Os dois lados freqüentemente informam números de mortos em combate diferentes, mas as partes não têm comprovação independente, porque o acesso às áreas de batalha no norte é restrito. EFE daa/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.