Detidos dois tailandeses suspeitos pelo atentado de Narathiwat

Bangcoc, 25 ago (EFE).- Dois trabalhadores vinculados à organização separatista Runda Kumpulan Kecil (RKK) foram detidos como suspeitos pelo atentado a bomba que feriu 42 pessoas em um restaurante da província de Narathiwat, no sul da Tailândia, informaram hoje fontes policiais.

EFE |

Os agentes que participam da investigação indicaram que também solicitaram uma ordem de detenção contra o chefe, Amran Ming, de 28 anos.

O comandante geral da Polícia, Peera Phumphichet, afirmou que as gravações de quatro câmaras de vídeo de vigilância mostram a Ming estacionando uma caminhonete diante do restaurante Suan Kluay, pouco depois do meio-dia da segunda-feira e pouco antes da detonação.

Segundo um exame legista, a intenção dos delinquentes, que utilizaram uma carga explosiva de 50 quilos, foi intimidar antes que assassinar.

Os ataques com armas leves, assassinatos e atentados a bomba acontecem quase diariamente nas três províncias de maioria muçulmana de Narathiwat, Pattani e Yala, apesar dos 31 mil agentes das forças de segurança na região e a declaração de estado de exceção.

Cerca de 3.700 pessoas morreram por causa da violência na região desde que o movimento separatista islamista retomou a luta armada em janeiro de 2004, depois de uma década de pouca atividade guerrilheira.

O movimento separatista, que denuncia a discriminação que sofre a população desta região por parte da maioria budista do país, exige a criação de um Estado islâmico independente que integre as três províncias que configuraram o sultanato de Pattani, anexado pela Tailândia há um século. EFE grc/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG