Detidos 13 membros de grupos ligados à Al Qaeda no Paquistão

Islamabad, 24 ago (EFE).- As autoridades paquistanesas detiveram nas últimas 24 horas 13 supostos membros de dois grupos vinculados à rede terrorista internacional Al Qaeda que planejavam ataques contra alvos no Paquistão, informaram hoje à Agência Efe fontes policiais.

EFE |

As forças de segurança detiveram no domingo sete militantes da organização Lashkar-e-Jhangvi (LeJ) na cidade de Karachi, disse à Efe o chefe da Polícia na capital financeira paquistanesa, Wasim Ahmed.

"Pertencem ao LeJ e estavam planejando atentados contra edifícios e personalidades. Foram detidos em uma operação dirigida pela unidade de investigação de crime", disse a fonte.

Este grupo extremista islâmico de caráter sunita foi acusado pelo Governo paquistanês de ter realizado o ataque suicida contra o hotel Marriott, em Islamabad, que matou pelo menos 54 pessoas em setembro de 2008.

A outra operação ocorreu nesta madrugada na cidade de Sargodha, pertencente à província nordeste do Punjab, onde a Polícia deteve seis membros da facção regional Tehrik-e-Taliban Pakistan (TTP), organização que reúne diferentes grupos talibãs paquistaneses.

"Em uma primeira operação, foram detidas três pessoas em Sargodha. Através de sua pista, lançamos uma operação horas depois em uma localidade nos arredores e detivemos outros três terroristas.

Apreendemos explosivos, detonadores e armas", disse à Efe o chefe policial do distrito, Usman Anwar.

Segundo a fonte, os detidos, todos do Punjab e com entre 18 e 35 anos, confessaram durante os interrogatórios pertencer ao TTP e estar planejando ataques contra uma empresa telefônica, as forças de segurança e a comunidade muçulmana xiita, minoritária no Paquistão frente à sunita.

De acordo com sua versão, os supostos terroristas trabalhavam sob as ordens de Baitullah Mehsud, líder do TTP e a quem as autoridades do país dão por morto em um ataque com mísseis de um avião não-tripulado dos EUA no último dia 5.

Nos últimos dias, a cúpula da insurgência talibã paquistanesa estaria e meio a disputas internas para designar o sucessor de Mehsud na liderança do TTP, segundo a imprensa do país.

Os talibãs negam, por enquanto, a morte de seu líder, mas afirmam que ele não pode desempenhar o cargo porque está muito doente. EFE igb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG