Detido nos EUA suspeito de assassinato pelo qual inocente ficou 20 anos preso

Nova York, 30 dez (EFE).- A Polícia de Nova York informou hoje sobre a detenção de um morador do bairro do Bronx acusado de ter cometido em 1986 um assassinato pelo qual outra pessoa passou 20 anos na prisão.

EFE |

O suspeito, Kevin Benefield, era procurado pelas autoridades de Wallingford, no estado vizinho de Connecticut, que o acusam de assassinato e agressão sexual no caso da morte de Barbara Pelkey.

A prova que levou à detenção de Benefield foi uma amostra de saliva que a Polícia recolheu há 22 anos, mas que até agora não tinha sido analisada e comparada com outras amostras de material genético encontradas no corpo da vítima.

As autoridades se viram obrigadas a reabrir este caso em agosto deste ano depois que outro exame de DNA comprovasse a inocência de Kenneth Ireland, que passou 20 anos de prisão por um crime que não cometeu.

O cadáver de Pelkey foi descoberto nas então instalações da empresa R.S. Moulding and Manufacturing, em Wallingford, onde trabalhava à noite.

Na época, Benefield era funcionário de uma empresa com sede no mesmo edifício e conhecia a vítima, segundo a Polícia.

Em seu lugar, as autoridades acusaram Ireland pelo crime. Em 1988, ele foi condenado a uma pena de 50 anos de prisão por estupro e assassinato.

Ireland é o terceiro preso em Connecticut que é libertado depois da comprovação da inocência por um exame de DNA. O número de pessoas soltas por este mesmo método nos Estados Unidos chega a 240 pessoas, segundo a organização Innocence Project. EFE jju/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG